mugla escort osmaniye escort sanliurfa escort yalova escort yozgat escort ordu escort hatay escort manisa escort erzincan escort nigde escort canakkale escort

Coco de roda anima Circuito Som nas Pedras em Queimadas

18 nov 2019

Som nas Pedras Queimadas (109).JPG
Anona etapa do Circuito Som nas Pedras, realizada nesse sábado (16), na cidade de Queimadas, surpreendeu o público pela beleza das paisagens da região e a força da cultura popular. O local escolhido para receber as atividades foi a Serra das Antenas, localizada no complexo geológico do Parque Estadual das Pedras, que atravessa os municípios de Fagundes, Queimadas e Caturité.

Durante a tarde, quem foi em busca de aventura pôde aproveitar a trilha que liga a BR-104 ao alto da serra. Na subida, além do contato com os moradores da zona rural de Queimadas e suas criações de cabras, galinhas e frutas da região, os visitantes puderam apreciar as belas paisagens ao entardecer.

Som nas Pedras Queimadas (42).JPG

Lá em cima, a programação do evento começou ao pôr do sol, com a Orquestra Prima, do polo de Campina Grande. Composta por 20 músicos, entre estudantes da rede estadual de ensino e professores, a orquestra executou um repertório que mesclou grandes obras da música erudita e canções que embalam o imaginário nordestino.

Som nas Pedras Queimadas (40).JPG

Enquanto a orquestra finalizava a apresentação, em outro ponto do complexo o público se concentrava próximo ao local onde há resquícios de um antigo cemitério indígena. Na Caverna da Loca, a plateia foi recepcionada pela representação do cangaço realizada pela Companhia de Projeções Folclóricas Raízes, que em seguida levantou poeira com o espetáculo de xaxado.

Já na Pedra do Vento, o historiador Antônio Carlos abriu o terceiro momento da programação falando sobre a importância da preservação do complexo geológico em função de sua riqueza histórica. “Nós temos a história desenhada nas pedras, contando os rituais de caça, de descarne e de agradecimento, ou seja, os indígenas escreveram um livro nas pedras”, destacou.

Som nas Pedras Queimadas (48).JPG

No largo da Pedra do Vento, a programação esquentou com a apresentação do Samba de Roda de Mestre Zé Zuca, do sítio Sulapa. Sob comando de Seu Geraldo Preto, na zabumba, o quarteto formado por triângulo, pratos e caixa fez o público dançar com os tradicionais coco de roda e coco furado. A brincadeira é tradição da região desde os anos de 1910 e bastante frequente nas novenas da zona rural do município.

Som nas Pedras Queimadas (65).JPG

Em clima de festa, uma grande quadrilha junina envolveu o público e encerrou a programação do Som nas Pedras em Queimadas, ao som do músico Hugo Sanfoneiro. A secretária de Cultura e Turismo de Queimadas, Angélica Figueiredo, destacou o desafio que foi realizar a ação no alto da serra. “Uma coisa é fazer o evento lá embaixo, outra coisa é realizá-lo no alto de uma serra, e creio que o fizemos com êxito”, comemorou.

Já o secretário executivo de Estado da Cultura, Milton Dornellas, destacou a sinalização do Governo do Estado em ampliar o Circuito Som nas Pedras, em 2020. “O projeto foi tão exitoso, que o governador João Azevêdo compreendeu a importância e garantiu a ampliação no próximo ano, envolvendo mais cidades e mais investimentos”, informou.

Parque Estadual das Pedras – A exemplo de outros parques estaduais, como o Pico do Jabre e a Pedra da Boca, o Parque Estadual das Pedras tem seu início na Serra do Bodopitá, seguindo pela Cordilheira das Pedras, que abriga imponentes formações rochosas como a Pedra do Touro, a Pedra do Vento e a Pedra Guritiba. O parque abriga também importantes sítios arqueológicos, como o Bodopitá, Gravatá dos Trigueiros, Pedra dos Vidinhas, Malhada Grande, Zé Velho e Castanho I, II e III.

Última cidade – Após passar pelas cidades de Juru, Matureia, Teixeira, Princesa Isabel, Congo, Monteiro, Cabaceiras, Serra Grande e Queimadas, o circuito será finalizado no Lajedo do Marinho, em Boqueirão, no dia 23 de novembro.

Sobre o circuito – O Circuito Som nas Pedras é uma realização das prefeituras e empreendedores locais, e conta com a parceria do Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado da Cultura (Secult), Secretaria de Estado da Comunicação Institucional, Secretaria de Estado da Administração, Empresa Paraibana de Turismo (PBTur) e a Empresa Paraibana de Comunicação (EPC), por meio da Rádio Tabajara e do Jornal A União, e o Sebrae.

Portal Paraiba.pb.gov.br