mugla escort osmaniye escort sanliurfa escort yalova escort yozgat escort ordu escort hatay escort manisa escort erzincan escort nigde escort canakkale escort

Encontro de Rendeiras de Bilros da Paraíba

29 nov 2018

rendeiras 270x202 - Fundação Casa de José Américo sedia Encontro de Rendeiras de Bilros da ParaíbaA Fundação Casa de José Américo sedia, nesta quinta-feira (29), o I Encontro de Rendeiras de Bilros da Paraíba. A abertura ocorre às 9h, no auditório, com palestra do presidente Damião Ramos Cavalcanti, seguida da apresentação de Ivaldina França de Oliveira, do Grupo Raízes do Rendar.

Às 10h, acontece a abertura da Exposição de Rendas de Bilros, no Salão Nobre da FCJA, com a troca de saberes entre rendeiras e visitantes. Após o intervalo para o almoço, a atividade da exposição e troca de saberes prossegue, a partir das 14h. Em seguida, haverá a apresentação do Grupo de Dança e Animação Creusa Pires (SESC). 

Raízes do Rendar – Formado por rendeiras de bilro e aprendizes, o grupo tem por finalidade resgatar esse patrimônio cultural na Paraíba e colaborar na divulgação dessa arte milenar. O grupo surgiu em novembro de 2017, a partir do interesse de uma artesã que, na Feira Mostra Brasil em João Pessoa, conversava com uma rendeira de Natal dizendo que gostaria de aprender a fazer renda de bilros, mas não havia onde aprender. Ao ouvir isso, uma das pessoas presentes, que já tinha contato com as últimas rendeiras tradicionais de Salgado de São Félix, Itabaiana e Barra de Antas (Sapé), se prontificou a repassar o que sabia.

Dessa articulação foi formado o Grupo Raízes do Rendar que, no princípio, se reunia no quintal da criadora do grupo, no bairro do Cabo Branco. Cada semana chegava mais uma pessoa para participar. A maioria mulheres, apenas um homem, todos já artesãos, que se deslocavam com suas almofadas, de diversos bairros da Capital.

O quintal ficou pequeno e quando chovia todos tinham que se reunir em uma sala do edifício, residência de uma das facilitadoras. A partir dessa dificuldade e auxiliados por uma participante, que era estagiária da UFPB na Fundação Casa de José Américo, estabeleceram contato com a presidência da FCJA, onde está estruturando um setor de Arte Popular e, desde então, os participantes passaram a se reunir semanalmente no local.

(SecomPB)